Rumos Jornalismo Cultural em Cuiabá

Dito e certo, leitor companheiro, camarada leitora: eis que nem bem o fim de semana bate à porta, e a expedicionária Babi Borghese, do Rumos Jornalismo Cultural, chega chegando na caixa de entrada deste que vos tecla, com fotos e legendas da viagem a Cuiabá, para o encontro da Intercom Centro-Oeste. Lá vai:

Centro Geodésico da América do Sul, em Cuiabá (1)

Centro Geodésico da América do Sul, em Cuiabá (2)

Instituto de Linguagens da UFMT, que sediou mais uma vez a Intercom Centro-Oeste

Ói ela aí, geeeente... a "barraquinha" Rumos, logo na primeira manhã, atiçando a curiosidade dos alunos da própria UFMT

No saguão também tinha uma exposição de arte...

... que na verdade é de um projeto lindo da universidade

Eliane Brum lotando a sala de seu laboratório "Olhar e escuta em busca do personagem singular"

... com direito a "tarde de autógrafos" depois da atividade

Platéia atenta no laboratório "Como fazer na internet coberturas ao vivo de eventos culturais", de Fábio Malini

... onde todos tiveram seus 15 segundos de fama e apareceram ao vivo na rede

Lembrando que o resultado do laboratório do Malini pode ser conferido aqui!

[Babi Borghese]

Anúncios

Visões de Boa Vista

Amigo leitor, cordial leitora, a expedicionária Babi Borghese, do núcleo Diálogos do Itaú Cultural, não pára mesmo quieta. Entre um voo e outro, antes de uma decolagem ali, depois de um pouso aqui, nos mandou a sequência de fotos e legendas abaixo, a fotonovela da Intercom Norte, encontro regional da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, que ocorreu em Boa Vista, Roraima. E enquanto este que vos tecla dá a nota, Babi já está, desde ontem, na Intercom Centro-Oeste, em Cuiabá. Portanto leia logo, lépido amigo, que logo logo vem mais.

 

Aeroporto de Congonhas, São Paulo, 30 de maio, 6h da matina, 13º...

Aeroporto de Brasília, 9h30, 19º...

E o hotel em Boa Vista, 15h30, 29º

A Faculdade Estácio/Atual (antiga Faculdade Atual da Amazônia), sede da Intercom Norte 2011

Da esquerda para a direita, as coordenadoras de curso Aleta Dreves (UFAC) e Claudia Bardal (Atual), e o professor Marcio Fernandes (UniCentro), três dos organizadores do congresso

Chove na Atual; chove em Boa Vista; chove no estado inteiro, quase o tempo todo, dia e noite

A cantina da faculdade serviu como espaço de convivência para os cerca de 700 congressistas

Os bicos de tomadas foram poucos pra tanta gente com laptop

Luiz Ruffato, convidado do Itaú Cultural para ministrar o laboratório 'Jornalismo Cultural e Literatura', posa com a sua primeira turma de Intercom

No dia seguinte, 3/6, bis do Ruffato...

... que deu muitas entrevistas, tanto à imprensa local quanto aos estudantes

Expectativa na última noite: hora da premiação dos melhores trabalhos dos alunos apresentados na Expocom Norte (parte integrante do congresso, que seleciona os melhores de cada região para competir no congresso nacional, que neste ano ocorre em Recife, em setembro)

Preparando-se para anunciar os vencedores das 40 categorias (sim, 40 categorias!), Aleta Dreves (UFAC); a vice-presidente da Intercom, Nélia Del Bianco (UnB), e Maria Ataide (UFPA), que deram o sangue pro evento acontecer

 

***

Sabadão, dia de folga pra conhecer a cidade. Melhor: o Estado.  Melhor: o estrago que as chuvas estão fazendo em toda a região. Acordamos às 6h e viajamos por 1h30 para chegar à fronteira Roraima/Guiana.

Da esquerda para a direita: Fernanda (aluna da UFPA e integrante da produção do congresso), Marcio, Babi e Nélia posando embaixo da placa que indica a travessia Bonfim (Roraima), Lethen (Guiana). Era pra ter uma ponte aí...

...totalmente coberta pelas águas

A travessia só pode ser feita por carros altos, de grande tração...

... e lá vamos nós, pagando R$5 por pessoa à dona do carro guianense que parece uma van, só que mais robusta

Essa é pra provar que estivemos lá: Márcio vai às compras no supermercado local

Posto de gasolina em Lethem, ponto de encontro com o carro quase anfíbio que nos levará de volta a Bonfim

Vale registrar que a direção do carro, bem como a das pistas, evidentemente, são inglesas

Estrada linda (pena que faltou o sol), ladeada de buritis

Às 13h, meus companheiros de aventura vão pro aeroporto e eu troco de grupo: as meninas da produção da Intercom me levam pra conhecer a cidade. Da esquerda para a direita: Stael, Polyana, Vilany e Juliana. Como eu, Stael também é turista, vinda do Acre

Vale um parêntese de agradecimento à produção da Intercom Norte. Impecável. Já estou com saudades de todos!

A Orla Tumanan, interditada por conta das cheias: fato incomum

No estacionamento da Orla, só atracava barquinho...

... e o Pier, totalmente alagado

Apesar das chuvas que neste ano castigam a população mais do que nos períodos anteriores, Boa Vista é uma cidade linda e já deixa saudades, antes mesmo de me dirigir ao aeroporto pra próxima parada: Intercom Centro-Oeste, em Cuiabá.

[Babi Borghese]

Londrina, Intercom e Rumos Jornalismo Cultural

Nos dias 26, 27 e 28 de maio, a cidade de Londrina recebeu o encontro da Intercom Sul, que reuniu cerca de 1.460 estudantes e professores de Comunicação de faculdades do Sul do país. Zanzando entre eles, esteve a caravana do Rumos Jornalismo Cultural. Confira o relato do expedicionário Renan Fattori:

 

Rumos Jornalismo Cultural na Intercom Sul

Londrina está localizada no norte do estado do Paraná, possui 77 anos e é reconhecida pela intensa atividade agrícola, agropecuária e tecelagem. Um dado curioso é o nome “pé vermelho” dado aos londrinenses por conta da cor da terra da região:

As atividades do primeiro dia da Intercom Sul aconteceram no Teatro Ouro Verde, localizado no calçadão central da cidade. Aos poucos os participantes chegavam para o cadastramento, muitos ainda com malas, diretamente de uma longa viagem até a cidade.

Teatro Ouro Verde

Cadastro dos estudantes

Nos dias seguintes, as atividades se dividiram entre a Universidade Federal de Londrina (UEL) e a Universidade Norte do Paraná (Unopar).

Destaque para a presença frequente do chimarrão (composto pela cuia, uma bombaerva-mate e água quente) que a maioria dos estudantes carregava de um lado para o outro, entre as palestras e apresentações.

Em duas turmas, na noite de sexta e na manhã de sábado, Sergio Vilas-Boas apresentou o laboratório PERFIS: E COMO ESCREVÊ-LOS.  Houve muita procura para os dois dias. Oo palestrante destacou os principais pontos, características e experiências pessoais de como escrever perfis.

Sérgio Vilas-Boas

Laboratório de sábado

Momento tietagem pós-autógrafos

[Renan Fattori]

Intercom, aí vamos nós!

Enquanto a turma das palestras e das oficinas desfaz as malas, a intrépida e serelepe rumeira Babi Borghese refaz as suas, rumo a mais uma peregrinação por congressos de Comunicação pelo Brasil. Depois do encontro com os professores de jornalismo no congresso da FNPJ, é a vez dela papear com os estudantes no Intercom. Nos Intercons, na real, já que as regiões do Brasil são 05 e os encontros são regionais.

Agora mesmo, leitor-em-tempo-real, enquanto escrevo estas mal-traçadas, Babi tasca a mochila nas costas e zarpa pro Rio de Janeiro, que, suponho eu, continua lindo. Lá ela participa do Intercom Sudeste, na Escola de Comunicação da UFRJ. Que é coordenada por quem? Por nossa palestrante Rumos, Ivana Bentes, veja e me diga se esse mundo não é pequeno e se o Rumos não é mesmo a arte do encontro.

Mas dá trabalho. Babi nos conta que o encontro conta com nada mais nada menos que 2.000 inscritos. Haja lábia para conversar com essa turma e passar informações sobre os editais Rumos. Passar informações? “Receber também. Os congressos são sempre uma oportunidade para descobrir faculdades novas, que não estão no nosso mailing. Ainda mais com essa quantidade de inscritos!”, exclama Babi.

De malas prontas pro Rio, nossa rumeira querida volta pras bandas paulistanas no dia 10, e já no dia 13 segue para Teresina, onde acontece o Intercom Nordeste. Que notícias nos trará no meio disso enquanto isso, duvidoso leitor? É ler pra crer. Em breve, num post perto de você.

Outros Rumos dessa rumaria

Babi Borguese, papeando pelo Brasil

Babi Borguese, papeando pelo Brasil

Hoje tem caravana desembarcando no Rio de Janeiro e em Vitória, caro leitor? Tem sim senhor. Tem histórias chegando de Aracaju? Tem pra chuchu. E você nem sabe o quanto ainda vai ouvir falar da turma do Norte por aqui. O bom de peregrinar pelo Brasil é que a passagem não passa, as histórias ficam e os bons papos reverberam, se reproduzem.

Mas enquanto tudo isso, no meio das itinerâncias, discreta toda, eis que nossa coordenadora do núcleo Diálogos, Babi Borghese, sai de fininho com mochila, folders, banners e muita lábia pra falar do Rumos Itaú Cultural 2009 num circuito diferente. Trata-se do circuito de congressos parceiros do Rumos Jornalismo Cultural, surpreso leitor, que vem crescendo a cada edição e dando bons frutos.

Pra começo de conversa, em Belo Horizonte, tem início amanhã o 12º Fórum Nacional de Professores de Jornalismo, que vai até domingo. A parceria entre o Fórum e o Itaú Cultural teve início em 2004, no encontro ocorrido em Florianópolis. Babi vai lá, arma a barraca e papeia com a turma sobre o que é o Rumos e como é que faz pra se inscrever.

“O mote é o Jornalismo Cultural, por conta do público, mas como professor é multiplicador de informação, sempre acabo conseguindo chamar a atenção para os outros editais que têm inscrições abertas. Acho até que o encontro deste ano será mais produtivo, já que Cinema e Vídeo e um pedacinho do Arte Cibernética se imbricam com o jornalismo e os cursos de comunicação em geral…tá valendo”, suspeita Babi, e com toda razão.
 
Reparou lá no tema central do encontro? Então repare: O ensino de jornalismo nas universidades: impactos na prática profissional e conquistas para a sociedade. Sintonia total com o trabalho de mapeamento do ensino do jornalismo cultural realizado pelos professores selecionados na última edição do Rumos. O livro com o resultado do mapeamento foi publicado em dezembro de 2008, e em janeiro deste ano o Fórum divulgou o tema do encontro. Acredite nas sincronias, assustado leitor, que lá vem mais.

Eis que Minas abriga três dos nove professores selecionados pelo Rumos em 2007 — Margareth Assis Marinho, Marina Magalhães e Nísio Teixeira, e eis que na confluência das boas coincidências os três irão apresentar o trabalho que fizeram durante o Rumos Jornalismo Cultural. Babi dá a dimensão da coisa: “É a primeira vez o mapeamento vem a público, já que o material impresso foi distribuído apenas entre universidades, pesquisadores e jornalistas formadores de opinião. Mais do que isso, o trabalho passou por uma seleção, precisou ser aprovado para ser apresentado no Fórum”.

Agora deixa eu te contar mais essa: Belo Horizonte nos últimos anos virou um verdadeiro centro receptor de rumeiros do jornalismo cultural. Além da nativa Ludmila Ribeiro, o baiano Leandro Lopes e a paulistana Júlia Tavares tiveram seus rumos encaminhados para o clube daquelas esquinas. Suspeito que rolará um extermínio coletivo de saudades.

Depois do FNPJ, no começo de maio, tem início a série de encontros regionais do Intercom, cuja parceria com o Itaú Cultural começou em 2007. O formato é o mesmo. Babi chega lá com “folders, cartazes, e me acomodo numa mesinha onde houver boa circulação de público. Penduro um banner enorme do Rumos e fico lá conversando com quem passar”.

Visualize, amigo leitor, e aguarde novidades.