Pré-selecionados Rumos Cinema e Vídeo

Abaixo, os projetos pré-selecionados pelo Rumos Cinema e Vídeo 2009-2011 nas categorias Filmes e Vídeos Experimentais e Espetáculos Multimídia. Esses projetos passarão pela seleção final em agosto e a lista dos selecionados nessas duas categorias e também na categoria Documentários para Web será divulgada no dia 8 de setembro de 2009.

Filmes e Vídeos Experimentais

Comissão de seleção
Gilbertto Prado, Paula Alzugaray e Roberto Moreira

Projetos pré-selecionados
Desassossego, de Felipe Bragança, RJ, 54min
Isto Não É um Filme, de Kika Nicolela, RJ, 54min
Transfusões, de Pedro Urano, RJ, 54min
Alquimia da Velocidade, de Arthur Omar, RJ, 54min

Plataforma, de Cinthia Marcelle, MG, 26min
Enquadro II: Tiaguinho da Conceição, de Rafaella Costa, SP, 26min
A Redação Proibida, de Andréa Midori Simão, SP, 26min

Museu dos Corações Partidos, de Inês Cardoso, SP, até 15min
Casa – Construção, de Katia Maciel, RJ, até 15min
Maquete, de Leticia Ramos, SP, até 15min
A Verdadeira História da Bailarina Vermelha, de Alessandra Colasanti, RJ, até 15min
Cellphone, de Daniel Lisboa, BA, até 15min
Todas as Cartas, de Denise Adams, SP, até 15min

Espetáculos Multimídia

Comissão de seleção
Daniela Kutschat, Eduardo de Jesus e Patricia Moran

Projetos pré-selecionados
Storm, de duva, SP
Sequenzia/Sequencia, de Raimo Benedetti, SP
Sonata para Câmeras de Vigilância, de Paola Barreto, RJ
0 FPS: Paisagem, de Gabriel Menotti, ES
Travelling Zona Norte, de Gustavo Melo, RJ
Pelas Fendas, de Sandro Canavezzi de Abreu, MG
Neometaesquemas, de e+F?, SP

Anúncios

Jornalismo Cultural: inscrições prorrogadas

Foram prorrogadas as inscrições para o Rumos Jornalismo Cultural 2009-2010, de 31 de julho para 14 de agosto.

Professores de graduação e pós-graduação da área de comunicação social podem participar com textos que tratem da formação do aluno ou do aperfeiçoamento do professor em jornalismo cultural. Estudantes de graduação podem enviar reportagens de mídias impressa, sonora ou audiovisual, além de web.

Com o encerramento das inscrições já no segundo semestre letivo, a carteira estudante passa a aceitar alunos que acabaram de se matricular no terceiro, quarto, quinto ou sexto período.

Portanto, onde se lê no edital “podem se inscrever na carteira estudante alunos de graduação em comunicação social e/ou jornalismo que cumpram do terceiro ao quinto períodos no primeiro semestre de 2009…” compreenda-se “podem se inscrever na carteira estudante alunos de graduação em comunicação social e/ou jornalismo que cumpram do terceiro ao sexto períodos no segundo semestre de 2009…”

É mais uma chance de participar! Não perca!

Seleção em progresso

Com os editais encerrados, as comissões de seleção dos Rumos Cinema e Vídeo, Dança e Arte Cibernética já estão trabalhando a todo vapor.

O pessoal do Rumos Dança analisa os 732 projetos recebidos e divulga sua seleção até 17 de agosto. Em caso de dúvidas ou comentários sobre esta edição escreva para atendimento@itaucultural.org.br .

A comissão de Cinema e Vídeo teve 662 inscrições e apresenta os selecionados em 8 de setembro. O e-mail para contato sobre edição também é atendimento@itaucultural.org.br .

As 320 propostas de Arte Cibernética serão avaliadas e o resultado sai até o final do mês de outubro. Para esta edição o contato contua sendo pelo e-mail do rumos: rumosartecibernetica@itaucultural.org.br .

Aguarde!

O último post da temporada

Chegamos até aqui, leitor, mas eu, antes de chegar ao ponto final desta frase, antes de sair do seu início, respiro fundo, solto o ar, amoleço os dedos sobre o teclado do computador pra te dizer: chegamos até aqui.

Este blog quando começou tinha a cara de todos nós quando começamos, uma cara apenas mais ou menos nossa, um pouco disforme, um pouco sem saber o que se é. E aí muitas vozes deram por aqui as caras, a sua, a sua, a sua aí atrás também. Sim, você. Eu, tu, ele. Nós, vós, eles. Num trem de Teresina pra São Luis do Maranhão, ah que saudade da Bahia, minhalmacantavejooriodejaneiro, alguma coisa acontece no meu coração.

E assim as coisas foram se acertando e ficando meio parecidas com uma canção de Arnaldo Baptista, todos juntos numa pessoa só, só que debaixo dos meus dedos de editor, e você não tem idéia do tamanho desse privilégio. Nem você. Ou você, sim, você mesmo, aí debaixo da goiabeira.

Do Norte, do Sul. Do Centro-Oeste, do Nordeste, do Sudeste. Até aqui, neste ponto. Que não é aquele do começo, que não será o do final. O último post da temporada — mas entra lá, por exemplo, no site do Itaú Cultural e vê só o quê que a turma do Rumos Música e do Artes Visuais estão aprontando esse mês. Ou pare e pense nos inscritos do jornalismo cultural, que ainda têm algumas semanas pra martelar um belo dum cartão de visitas.

Eu não sabia, mas em 2004, um imberbe eu participava de uma idéia sobre a qual viria a falar na abertura desta aventura: Rumos é movimento.

 

Augusto Paim, Anderson Ribeiro, Reuben e Leandro Lopes, clicados por Jayme Canashiro

Augusto Paim, Anderson Ribeiro, Reuben e Leandro Lopes, clicados por Jayme Canashiro

 

Abertura da primeira edição do Rumos Jornalismo Cultural. Dezembro de 2004, atravessando a Paulista, saindo da sede do Itaú Cultural. Mal nos conhecíamos, nem suspeitávamos onde a amizade iria parar — soubemos sair dos quatro cantos do Brasil para atravessar o coração de São Paulo e ser atravessado por ele, e foi o bastante. Por algum motivo a Avenida Paulista virou nossa Abbey Road, e eu sequer lembrava disso quando Babi Borghese — expedicionária, rumeira-mor e fada madrinha já de duas rumorosas turmas — encontrou a foto, perdida no blog do Leandro.

Depois a intrincada investigação jornalística pelos porões de várias memórias para descobrir de quem o dedo que clicou a nossa hora. Era do Jayme. Nenhum dos envolvidos no crime conseguia lembrar com precisão. Leandro suspeitou, soprei a dica pra Babi, que num telefonema pro doutor confirmou: foi o Jayme, claro, este rumoroso precioso, misto de médico e jornalista (é verdade, pode acreditar), como pudemos esquecer? E inverto a pergunta: que memória dá conta quando não há nada numa história que não seja inesquecível?

É também de Babi o crédito da idéia de voltar a este começo neste temporário fim. Eu por muito tempo fico só com o travo da saudade antes de aportar neste texto, que diz pra você o que antes disse pra mim: repare. Este retrato registra o movimento. Do nascer do Rumos. Do início de cada um de nós. Até o movimento dos carros.

O segundo beatle, eu sou um moleque feliz por ter conhecido o Rumos e os amigos adoráveis que ele me deu. Atravessada a Paulista e o passar dos anos, sou um moleque feliz por ver meus adoráveis amigos tornados jornalistas que admiro tanto, e por carregar no próprio corpo a prova do que sempre digo, inclusive aqui — não existe ex-rumeiro, um rumeiro é sempre um rumeiro. Do lado de cá e de lá deste ponto.

Rumos Jornalismo, café e livros

margarethmarina2

 

De baixo pra cima, ascendente leitor: estes que você vê sobre a mesa são os resultados da última edição do Rumos Jornalismo Cultural: o Mapeamento do ensino do jornalismo cultural no país, feito pelos professores selecionados para o programa, e o livro Singular, que contém reportagens produzidas pelos estudantes rumeiros da última safra.

Estas que você vê logo acima dos volumes são duas das responsáveis pelo Mapeamento, as professoras Margareth Marinho e Marina Magalhães, da esquerda para a direita, docentes da Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac), Juiz de Fora, Minas Gerais.

Agora dê um giro no contexto. Margareth e Marina estão no dia 02 de junho, quer dizer, no meio da VIII Semana de Comunicação Social da Unipac. E dentro do meio da Semana, a postos no Café com Livros, um “coffee break com  noite de autógrafos e divulgação de livros de quatro professoras do curso de Jornalismo, inclusive o Mapeamento do ensino do jornalismo cultural no Brasil em 2008, pesquisa resultante do trabalho dos nove professores selecionados pelo Rumos Jornalismo Cultural”, nas palavras de Marina, que também coordena o curso de Comunicação Social da universidade.

 

margarethmarina1

 

Durante o Café com Livros, as professoras montaram uma mesa, esta aí em cima, com material do Itaú Cultural enviado pela expedicionária Babi Borghese, e além de divulgarem os livros — e sortearem alguns exemplares entre os alunos — bateram um papo com a turma sobre o novo edital. Este no qual você já se inscreveu. Ué, ainda não? Bem, ainda dá tempo. Pra se inscrever, dá tempo até o mês que vem. Pra reverberar não tem prazo, como a movimentação em Juiz de Fora bem demonstra.