Rumos Jornalismo Cultural na Cidade Maravilhosa

E por falar em Rumos Jornalismo Cultural, esta semana tem atividade do programa no V Encontro Rio-Espírito Santo de Professores de Jornalismo, do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo. O evento ocorre no Rio de Janeiro, dia 27/05. Das 18h às 19h tem a mesa Apresentação de Mapeamento de Ensino de Jornalismo Digital, com Sandra Machado (UVA) e Soraya Venegas (Unesa). O capitão Claudiney Ferreira, do núcleo Diálogos, é o representante do Itaú Cultural na ocasião.

O Departamento de Jornalismo da Faculdade de Comunicação Social da Universidade Estadual do Rio de Janeiro recebe o Encontro. Lembrando que, como integra o evento, as inscrições ficam a cargo do FNPJ.

Anúncios

Flagrantes do Jornalismo Cultural

Stop the press, leitor amigo, leitora do peito, e tome nota. Sinta o samba, que o Rumos Jornalismo Cultural está a postos para o fim de semana. Em plena sexta-feira, enquanto todos acertam os ponteiros da balada, do filminho, ou do sossego, o Núcleo Diálogos do Itaú Cultural aquece as turbinas, amarra os cadarços, limpa os óculos, mochila nas costas para a dose dupla de laboratório em Florianópolis no início da semana, e para as viagens seguintes, que logo irão pintar — breve, num post perto de você.

As fotos abaixo foram enviadas pela expedicionária Babi Borghese, um breve documentário visual da véspera-de do pessoal. Lá vai:

Fernanda Carvalho prepara kits para os laboratórios de Palmas e Boa Vista

Renan Fattori e Ricardo Tayra cuidam de passagens e hospedagens para Curitiba, Londrina, Campo Grande e Fortaleza

Babi Borghese arruma a malinha para o Congresso Nacional da Rede FolkCom, em Juiz de Fora. Enquanto isso, Claudiney Ferreira em casa desfaz a mala de Belém, e ainda aproveita pra arrumar a de Florianópolis...

E está só começando!

O que o Rumos Jornalismo Cultural viu e disse e ouviu em Santa Cruz do Sul

Você soube, sabido leitor, da passagem da caravana do Rumos Jornalismo Cultural pelos encontros regionais do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (o esquenta que antecede o encontro nacional do FNPJ, que ocorre em Uberlândia, em 2012) nos dias 8 e 9 deste mês. Neste post e no seguinte lhe darei pitadas de ocorridos, colhidas da memória e das câmeras dos expedicionários Claudiney Ferreira e Babi Borghese.

Do 1º Fórum Sul-Brasileiro de Ensino do Jornalismo, e 1º Encontro Gaúcho de Ensino do Jornalismo, ocorridos na Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), quem envia o relato é o gerente do Núcleo Diálogos do Itaú Cultural, o capitão Claudiney Ferreira, que apresentou os principais detalhes do Rumos Jornalismo Cultural 2011-2012 e apresentou ao público os professores palestrantes.

“Apresentamos os resultados do Mapeamento do Ensino de Jornalismo Digital no Brasil – 2010. A apresentação dos dados do mapeamento ficou a cargo de Alex Primo e Vivian Belochio, ambos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Cerca de 70 pessoas assistiram a apresentação, entre professores, pesquisadores e alunos de jornalismo da Região Sul do País. A apresentação ocorreu no dia 9 de abril, um sábado de muito sol em Santa Cruz do Sul.

“O encontro regional do FNPJ reuniu representantes de  23 universidades do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, e inclusive do Tocantins. Na plenária do encontro, os participantes redigiram uma carta em defesa do jornalismo. A Carta de Santa Cruz – Em defesa do jornalismo.

“Fica o agradecimento aos professores Antonio Hohlfeldt, presidente Intercom, e  Demétrio de Azeredo Soster, da UNISC.”

[Claudiney Ferreira]

O fim de semana do Jornalismo Cultural

Neste fim de semana, a caravana do Rumos Jornalismo Cultural participa de dois eventos do FNPJFórum Nacional de Professores de Jornalismo –, um dos parceiros do programa. O Encontro Mineiro de Professores de Jornalismo, que acontece na Universidade Federal de Viçosa, e o Encontro Gaúcho de Ensino de Jornalismo, que acontece na Universidade de Santa Cruz do Sul, na cidade de mesmo nome, nos dias 8 e 9, isto é, hoje e amanhã.

Nesta sexta, dia 8, no Encontro Mineiro, ocorre a mesa Mapeamento do Ensino do Jornalismo Digital no Brasil em 2010, conduzida pelos palestrantes Bernardete Toneto e Leo Cunha, apresentados por Babi Borghese, do Núcleo Diálogos do Itaú Cultural, responsável pelo Rumos Jornalismo. Trata-se de uma apresentação da pesquisa realizada pelos 8 professores selecionados para o Rumos Jornalismo Cultural 2009-2010.

Bernardete Toneto coordena o curso de jornalismo da Unicid – Universidade Cidade de S.Paulo, onde também leciona. Mestre em Comunicação e Cultura pelo Programa de Pós-Graduação em Integração da América Latina, pela Universidade de São Paulo (USP), e membro do Centro de Estudos Latino-americano de Comunicação e Cultura (Celacc). Leo Cunha é professor do curso de graduação da UniBH, e doutorando em Cinema na UFMG. Mestre em Ciência da Informação pela UFMG, graduou-se em Jornalismo e em Publicidade pela PUC-Minas. Professor da PUC-MG, na Pós-Graduação em Produção e Crítica Cultural.  Autor de mais de 40 livros, recebeu os prêmios Nestlé, Jabuti, FNLIJ, João de Barro, entre outros.

Em Santa Cruz do Sul, igualmente tem lugar a mesa sobre o Mapeamento do Ensino do Jornalismo Digital. Os palestrantes são os professores Alex Primo e Vivian Belochio, com apresentação de Claudiney Ferreira, do Núcleo Diálogos do Itaú Cultural.

Alex Primo é professor da UFRGS, em Porto Alegre. Doutor em Informática na Educação (UFRGS), com tese premiada pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação e pela Sociedade Brasileira de Informática na Educação. Foi mediador do Fórum Virtual de Discussão sobre Jornalismo, que reuniu professores selecionados no Rumos Jornalismo Cultural 2009-2010. Vivian Belochio é jornalista. Mestre em Comunicação Midiática pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e doutoranda em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Foi assistente de pesquisa do Fórum Virtual de Discussão sobre Jornalismo.

Além das mesas, nos dois eventos haverá divulgação do edital 2011-2012, com a tradicional barraquinha, que o leitor de outras aventuras bem conhece. Em Viçosa, a intrépida Babi Borghese fará as honras do Jornalismo Cultural, e para a mesma tarefa em Santa Cruz do Sul, contaremos com o luxouso auxílio do jornalista Augusto Paim, contemporâneo deste que vos traça linhas na primeira edição do programa (2004-2005), e desde então colaborador do Instituto.

O leitor interessado pode acessar com exclusividade o material de apresentação das mesas, sobre o Mapeamento. É só clicar.

Rumos na Intercom Sudeste

Esse é pra avisar o seguinte: começa hoje o encontro regional da Intercom Sudeste, na Universidade Federal do Espírito Santo, em Vitória. Intercom é Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, e nesses últimos meses do semestre acontecem os encontros regionais, no maior clima de esquenta pro encontro nacional, em setembro.

E você com isso, curioso leitor? É que onde tem um agito, lá está o Rumos, agitando. Logo mais, no começo da noite, tem duas mesas de que participam não só os gerentes dos núcleos Diálogos (literatura e jornalismo) e Música, Claudiney Ferreira e Edson Natale, mas colaboradores de longa data e longo alcance, como os jornalistas José Castello e Eliane Brum, e o escritor Luiz Ruffato. O convite aliás foi feito por outro parceiro, Fabio Malini, coordenador da Intercom Sudeste e consultor de outro projeto do Itaú Cultural, o Onda Cidadã. E toma lá:

Mesa redonda “Como ultrapassar a fronteira entre literatura e jornalismo”
Cinema Metrópolis • 19h
José Castello { escritor, jornalista e crítico de literatura }
Luiz Ruffato { escritor e jornalsta }
Eliane Brum { escritora, jornalista e documentarista }
Claudiney Ferreira { Itaú Cultural, jornalista }

Mesa redonda “Cidade e Cultura – descentralizando as políticas culturais” – Rumos Música
Auditório do Centro de Artes • 18h30 • Cemuni IV

Fabio Malini (UFES / Coletivo Multi)
Pablo Capilé (Fora do Eixo)
Fabinho Carvalho (Manguerê)
Edson Natale (Itaú Cultural)

E dá pra assistir em tempo real, distante leitor, a transmissão em vídeo da programação. Ou acompanhar no twitter a cobertura colaborativa do evento. Só não dá pra perder.

Expedição aos porões da ditadura

Castello, Monzani e o artesão Carlos Oliveira, que preserva intacto em seu ateliê um capítulo da nossa história da violência

Castello, Monzani e o artesão Carlos Oliveira, que preserva intacto em seu ateliê um capítulo da nossa história da violência

Por essa eles não esperavam. Das verdes matas e amarronzados rios amazônicos, nossos expedicionários Marcelo Monzani, José Castello e Claudiney Ferreira fizeram uma viagem de volta aos subterrâneos do Brasil. Mais precisamente de Teresina, e mais precisamente ainda da Teresina dos tempos de ditadura.

O que é hoje o Centro de Artesanato de Teresina foi construído para ser o quartel da polícia do Piauí. Com a chegada da Redentora em 1964, o local passou e sar utilizado pelos militares. O Box 43 do Centro de Artesanato, chamado de Arte Artista, pertence ao artesão Carlos Oliveira, que trabalha principalmente com madeira. É ali embaixo que permanece preservada a sala de tortura do antigo quartel.

sombrasesufoco81

sombrasesufoco7

sombrasesufoco4

“O calabouço abaixo do ateliê é um verdadeiro buraco medieval, sem janelas, sufocante, que ainda traz as marcas de sangue e das cassetadas nas paredes”, descreve Claudiney, autor das fotos. Além de uma limpeza básica no chão do porão, que ainda continha os dejetos dos prisioneiros, Carlos fez questão de manter intactas as marcas da história. Uma história próxima, mas difícil de se alcançar. A escada que lhe dá acesso é quase em 90 graus.

sombrasesufoco6

sombrasesufoco3

sombrasesufoco

sombrasesufoco2

“É muito bacana que o Carlos preserve esse lugar, mas o lugar é tenebroso”, diz o oficineiro José Castello, clicado nas últimas fotos ao lado de Marcelo Monzani. Aliás, sobre as fotos, Monzani registra que ficaram muito boas…No mau sentido. “Elas estetizaram o lugar, não dão dimensão do quanto é um ambiente pesado, escuro, sujo”, compartilha. “Essa sala tem as marcas do tempo. Um tempo sombrio e amargo”.