Seminário encerra atividades do Rumos Literatura e dá início às do Rumos Jornalismo Cultural

Se ligue, inteirado leitor, sapiente leitora — tem início nesta quarta-feira, dia 7, na sede do Itaú Cultural, em São Paulo, a segunda edição do Seminário Internacional de Crítica Literária. O encontro segue até a sexta-feira, dia 9, e reúne 19 convidados em sete mesas dedicadas a debater o sentido da crítica na contemporaneidade. O seminário, que tem curadoria de Maria Esther Maciel e Selma Caetano, terá transmissão ao vivo pelo site do Itaú Cultural.

Por que lho conto, desconfiado leitor, intrigada leitora? Porque o encontro marca o encerramento das atividades do Rumos Literatura 2010-2011, celebrado com o lançamento do livro Deslocamentos Críticos, em coquetel que ocorre após a última mesa do seminário, na noite da sexta-feira. O livro é resultado de um ano de laboratório online de crítica literária, por meio do qual os 14 selecionados do programa desenvolveram os trabalhos reunidos no livro, que sai em parceria com a Editora Babel.

Os encontros virtuais da turma foram mediados por Lourival Holanda, com as consultorias de Alckmar Luiz dos Santos, Flávio Carneiro, Heloisa Buarque de Hollanda, Maria Esther Maciel e Regina Dalcastagné. Os autores dos ensaios são Alexandre Oliveira, Laura Penna Alves, Patrícia Aparecida Antonio e Polyana de Almeida Ramos (SP), Cristiane Costa e Renan Ji (RJ), Flávia Péret (MG), Hilary Kaplan (EUA), Janina Rodas (PR), Julieta Yelin (Argentina), Rosane Cardoso (RS), Shagaly Araujo e Túlio D’El-Rey (BA) e Victor da Rosa (SC).

Mas as comemorações e o trabalho não terminam por aí: ao mesmo tempo em que encerra as atividades do Rumos Literatura 2010-2011, o seminário também dá as boas-vindas aos contemplados do Rumos Jornalismo Cultural 2011-2012. Os 20 selecionados desta edição do programa (12 estudantes e oito professores) iniciam sua jornada de um ano de atividades junto ao Itaú Cultural na mesma noite. Noite para a qual você também está convidado, leitor chegado, leitora amiga: confira a programação completa do seminário e apareça.

Sai a lista dos selecionados do Rumos Jornalismo Cultural

Você esperou até aqui, amigo leitor, paciente leitora, pois tome lá: acaba de sair do forno a lista dos contemplados na edição 2011-2012 do Rumos Jornalismo Cultural.  De 180 trabalhos inscritos, foram selecionadas 12 reportagens na carteira Estudante – entre as categorias Impressa, Audiovisual, Rádio e Web-reportagem – e oito ensaios na carteira Professor.

Entre os selecionados, há representantes de todas as regiões do país. Entre as duas carteiras, quatro dos selecionados são do Rio de Janeiro, cinco de Minas Gerais, e dois de São Paulo, pelo sudeste; três do Rio Grande do Sul e um do Paraná, pelo sul; um de Rondônia, pelo norte; um do Ceará e dois do Maranhão pelo nordeste; e um do Mato Grosso, pelo Centro-Oeste.

Se ligue nas estatísticas: pela quarta vez consecutiva o programa recebe selecionados da Universidade Federal do Maranhão (uma estudante do campus São Luis e uma professora do campus Imperatriz), e pela terceira vez consecutiva a Carteira Professor recebe profissionais da Universidade de Belo Horizonte (UniBH). A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) aparece pela terceira vez seguida na Carteira Estudante, desta vez com três universitários. E a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) também marca presença pela terceira vez, com uma estudante.

Confira abaixo as biografias dos selecionados, saiba mais sobre a premiação no site do Itaú Cultural e atenção, que tem mais resultados vindo por aí.

CARTEIRA PROFESSOR

Alexandra Aguirre (Rio de Janeiro/RJ, 1970) é graduada em Comunicação Social, especialista em Historia da Arte e Arquitetura, mestre em Comunicação e Cultura e doutoranda em Ciências Sociais. Atualmente coordena o curso de jornalismo da Universidade Castelo Branco, onde também leciona. Selecionada pelo ensaio Das disciplinas ao estágio: percepções dos alunos sobre esta relação.

Celso Gayoso (Rondonópolis/MT, 1983) é jornalista, ator e produtor cultural. Chefia o departamento de Jornalismo da Unir – Universidade Federal de Rondônia, em Vilhena/RO. Atualmente passa uma temporada no Rio de Janeiro/RJ, fazendo doutorado em Comunicação e Cultura na UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Selecionado pelo ensaio Jornalismo cultural para além das regiões metropolitanas.

Cristina Leite (Belo Horizonte/MG, 1963) é doutora em Sociologia e professora do curso de jornalismo do UniBH – Centro Universitário de Belo Horizonte, além de sócia-diretora do Instituto Kapta – Pesquisa e Consultoria. Selecionada pelo ensaio Jornal da Rua: Informação e boas histórias.

Everton Cardoso (Caxias do Sul/RS, 1977) é jornalista e mestre em Comunicação e Informação. Atualmente atua como jornalista no Jornal da Universidade (da UFGRS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre/RS) e leciona na Unisinos – Universidade Vale do Rio dos Sinos, em São Leopoldo/RS. Selecionado pelo ensaio Formação em jornalismo cultural: produção de conhecimento e mediação.

Izaura Rocha (São João de Meriti/RJ, 1961) é jornalista e professora de jornalismo. Doutoranda e mestre em Estudos Literários, é especialista em Estratégias Diante das Novas Tecnologias. Atualmente coordena a Agência Experimental de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Juiz de Fora, onde também leciona. Selecionada pelo ensaio Jornalismo em tempos hipermidiáticos: repensar a formação do jornalista no diálogo academia-mercado.

Lorena Tárcia (Timóteo/MG, 1966) é jornalista, especialista em Novas Tecnologias em Comunicação. Formada em Convergência de Mídias pelo projeto Infra Newsplex, dos EUA e formadora do Prouca, do MEC. Atualmente leciona no UniBH – Centro Universitário de Belo Horizonte, onde também coordena o curso de jornalismo e o Laboratório de Convergência. Selecionada pelo ensaio Parceria empresa/entidade de classe/escola para a formação de jornalistas em tempos de convergência das mídias digitais.

Marcos Santuário (Caxias do Sul/RS, 1964) é jornalista. Atualmente é professor de graduação e pós-graduação na Universidade Feevale em Novo Hamburgo/RS, onde coordena o curso de pós em Jornalismo e Convergência de Mídias. Pesquisador do projeto Mídia em Foco, é ainda editor de cultura do jornal Correio do Povo em Porto Alegre/RS. Selecionado pelo ensaio Frequencia Livre e Mídia em Foco unindo teoria e prática.

Thaísa Bueno (Guaraniaçu/PR, 1976) é jornalista com especialização em Artes Visuais e mestrado em Letras. Atualmente é professora assistente do curso de Jornalismo da UFMA – Universidade Federal do Maranhão, Campus Imperatriz. Selecionada pelo ensaio Ferramentas de Interação em Sala de Aula: Como Manter Vivo o Diálogo com o Mercado e com a Cultura do Ciberespaço.

CARTEIRA ESTUDANTE

CATEGORIA REPORTAGEM IMPRESSA

Antonio Laudenir (Fortaleza/CE, 1981) estuda Jornalismo na Faculdade Cearense. Antes, estudou Filosofia na UECE – Universidade Estadual do Ceará, inconcluso. Colaborou para agências de publicidade como designer gráfico e publicou nos fanzines Fliperama e Supimpa. Atualmente é repórter da revista A Voz da Juventude. Selecionado pela reportagem A palavra como um abraço.

Bárbara Altivo (Bom Despacho/MG, 1990) estuda Comunicação Social na UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte. Selecionada pela reportagem Juventudes ocupam a cidade: cultura e cidadania em BH.

Guilherme Magalhães (Curitiba/PR, 1992) estuda Comunicação Social na UFPR – Universidade Federal do Paraná, em Curitiba. Selecionado pela reportagem Distraídos nos perderemos.

Karen Araújo (Rio de Janeiro/RJ, 1989) estuda Jornalismo na UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro, na capital carioca. Atualmente trabalha na assessoria de imprensa da Maquina Public Relations. Selecionada pela reportagem Literatura de mulherzinha.

Luiza Miguez (Vitória/ES, 1989) estuda Jornalismo na UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Selecionada pela reportagem Eles escrevem sem papel: a literatura eletrônica brasileira e seus autores.

Saulo Pereira Guimarães (Rio de Janeiro/RJ, 1990) estuda Comunicação Social na UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Teve crônicas selecionadas para publicação na coletânea Cronicidades pelo projeto Escritores independentes. Atualmente, estagia na assessoria de imprensa da Biblioteca Nacional e faz divulgação online do projeto Sesc Samba Partido Alto. Selecionado pela reportagem De oculto a Cult – A vida secreta de Alcides Caminha ou Carlos Zéfiro.

CATEGORIA REPORTAGEM AUDIOVISUAL

Allana Meirelles (Juiz de Fora/MG, 1991) estuda Comunicação Social na UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora, onde participou do programa de treinamento profissional para o programa Mosaico, veiculado pela TVE. Foi repórter do Ibitipoca Off Road, vídeo realizado pela Frame Produções. Atualmente integra a equipe do projeto de pesquisa Avaliação do Telejornalismo da TV Brasil. Selecionada pela reportagem Trilha Sonora.

Carolina Fasolo (Campo Grande/MS, 1993) estuda Jornalismo na UFMS – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Atualmente estagia na Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social e colabora com redação de textos para o 5º Festcamp – Festival Nacional de Teatro de Campo Grande.  Selecionada pela reportagem Como ser feliz ganhando pouco: o lado B do pop/rock em Campo Grande.

CATEGORIA REPORTAGEM RADIOFÔNICA

Amanda Cotrim(Campinas/SP, 1987) estuda Comunicação Social na PUC-Camp – Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Atualmente estagia na Rádio CBN-Campinas e participa do grupo Matula Teatro como colaboradora na área de comunicação. Selecionada pela reportagem Comunidade Jongo Dito Ribeiro.

Amy Loren (Açailândia/MA, 1990) estuda Comunicação Social na UFMA- Universidade Federal do Maranhão. Mantém o blog http://bloguelado.blogspot.com e participa de projetos na universidade ligados à cultura como o Cineclube Casarão Universitário e Revista Bezouro. Estagiou no jornal O Imparcial e hoje é estagiária na Rádio Universidade FM. Selecionada pela reportagem Divinas Caixeiras.

CATEGORIA WEB-REPORTAGEM

Bárbara Pustai (Porto Alegre/RS, 1990) estuda Jornalismo na PUC-RS – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Selecionada pela reportagem Cinamateca Capitólio: Um patrimônio cultural para Porto Alegre.

Cíntia Carvalho (Jundiaí/SP, 1989) estuda Jornalismo na FACCAMP – Faculdade Campo Limpo Paulista, em Campo Limpo Paulista/SP. Atualmente estagia na Assessoria de Imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Selecionada pela reportagem Claudio Albuquerque, o grande arteiro jundiaiense.

Rumos Jornalismo Cultural prorroga inscrições

Mais uma boa nova, caro leitor, o Rumos Jornalismo Cultural também prorrogou seu período de inscrições, para o dia 29 de julho. Lembrando que o edital é tanto para estudantes de graduação quanto para professores de graduação e pós-graduação.

No caso dos estudantes, os candidatos devem estar cumprindo de 30% a 60% dos créditos curriculares, e precisam apresentar reportagens culturais para mídias impressa, sonora, audiovisual ou web. Quanto aos professores, os interessados devem ter no mínimo dois anos de docência, e enviar textos que tratem das relações entre a universidade e as empresas jornalísticas (não necessariamente sobre um caso consolidado, pode ser uma reflexão), com foco na formação de futuros jornalistas.

Agora é mãos à obra!

Postais da Paraíba

E por falar nele, caro leitor, no Rumos Jornalismo Cultural, e por falar nela, cordial leitora, na expedicionária Babi Borghese, é ela própria quem nos manda alguns postais de João Pessoa, Paraíba, onde o laboratório “A Mineração do Personagem”, com Humberto Werneck, marcou a última participação do Rumos Jota-Cê na caravana 2011. Lá vai:

Lua cheia em João Pessoa, última parada da Caravana com o Rumos Jornalismo Cultural, e também a última escala de Babi Borghese nesta empreitada

Babi tira uma tarde de folga e fica no hotel pra ler o novo livro da Eliane Brum, Uma Duas, sua primeira ficção

Na UFPB, que reuniu alunos e professores das cidades de Bayeux, Cabedelo, Campina Grande, João Pessoa, José Américo e Santa Rita para participar do laboratório "A Mineração do Personagem", com Humberto Werneck

... com direito a um ouvinte mais que especial, superatento

A produção, integrada por alunos de Comunicação da UFPB, organizou a atividade com muita competência

A cidade também está vestida para as festas juninas nos mínimos detalhes

[Babi Borghese]

Rumos Jornalismo Cultural em João Pessoa

Lembrando, memorável leitor, que segunda-feira tem Laboratório “A Mineração do Personagem”, com o jornalista Humberto Werneck em João Pessoa/PB. O encontro, promovido pelo Rumos Jornalismo Cultural, acontece na Universidade Federal da Paraíba, das 9h às 12h45.

Voltado a estudantes e professores interessados em biografias, o laboratório parte de dois desafios: como descobrir e revelar novos ângulos de um personagem (no caso, Chico Buarque) a respeito de quem tudo parece já ter sido escrito? E como, ao contrário, trazer à luz um personagem (aqui, o fascinante Jayme Ovalle, poeta e compositor) que muito poucos conhecem, e ainda assim muito pouco?

Humberto Werneck é jornalista e escritor. Mineiro de Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 1970. Cronista do jornal O Estado de S. Paulo, onde escreve aos domingos, trabalhou em Veja, IstoÉ, Playboy e Jornal do Brasil. Publicou O desatino da rapaziada (1992) e o song book Chico Buarque Letra e Música (1989) — este último revisto, ampliado e relançado em 2006 com o título Tantas palavras. É autor, também, de O Santo Sujo – A Vida de Jayme Ovalle (2008, prêmios APCA e Jabuti de biografia) e O Pai dos Burros – Dicionário de Lugares-Comuns e Frases Feitas (2009), entre outros. Organizou a antologia Boa Companhia: Crônicas. Seu livro mais recente é O espalhador de passarinhos & Outras crônicas, de 2010.

Rumos Jornalismo Cultural em Cuiabá

Dito e certo, leitor companheiro, camarada leitora: eis que nem bem o fim de semana bate à porta, e a expedicionária Babi Borghese, do Rumos Jornalismo Cultural, chega chegando na caixa de entrada deste que vos tecla, com fotos e legendas da viagem a Cuiabá, para o encontro da Intercom Centro-Oeste. Lá vai:

Centro Geodésico da América do Sul, em Cuiabá (1)

Centro Geodésico da América do Sul, em Cuiabá (2)

Instituto de Linguagens da UFMT, que sediou mais uma vez a Intercom Centro-Oeste

Ói ela aí, geeeente... a "barraquinha" Rumos, logo na primeira manhã, atiçando a curiosidade dos alunos da própria UFMT

No saguão também tinha uma exposição de arte...

... que na verdade é de um projeto lindo da universidade

Eliane Brum lotando a sala de seu laboratório "Olhar e escuta em busca do personagem singular"

... com direito a "tarde de autógrafos" depois da atividade

Platéia atenta no laboratório "Como fazer na internet coberturas ao vivo de eventos culturais", de Fábio Malini

... onde todos tiveram seus 15 segundos de fama e apareceram ao vivo na rede

Lembrando que o resultado do laboratório do Malini pode ser conferido aqui!

[Babi Borghese]

Londrina, Intercom e Rumos Jornalismo Cultural

Nos dias 26, 27 e 28 de maio, a cidade de Londrina recebeu o encontro da Intercom Sul, que reuniu cerca de 1.460 estudantes e professores de Comunicação de faculdades do Sul do país. Zanzando entre eles, esteve a caravana do Rumos Jornalismo Cultural. Confira o relato do expedicionário Renan Fattori:

 

Rumos Jornalismo Cultural na Intercom Sul

Londrina está localizada no norte do estado do Paraná, possui 77 anos e é reconhecida pela intensa atividade agrícola, agropecuária e tecelagem. Um dado curioso é o nome “pé vermelho” dado aos londrinenses por conta da cor da terra da região:

As atividades do primeiro dia da Intercom Sul aconteceram no Teatro Ouro Verde, localizado no calçadão central da cidade. Aos poucos os participantes chegavam para o cadastramento, muitos ainda com malas, diretamente de uma longa viagem até a cidade.

Teatro Ouro Verde

Cadastro dos estudantes

Nos dias seguintes, as atividades se dividiram entre a Universidade Federal de Londrina (UEL) e a Universidade Norte do Paraná (Unopar).

Destaque para a presença frequente do chimarrão (composto pela cuia, uma bombaerva-mate e água quente) que a maioria dos estudantes carregava de um lado para o outro, entre as palestras e apresentações.

Em duas turmas, na noite de sexta e na manhã de sábado, Sergio Vilas-Boas apresentou o laboratório PERFIS: E COMO ESCREVÊ-LOS.  Houve muita procura para os dois dias. Oo palestrante destacou os principais pontos, características e experiências pessoais de como escrever perfis.

Sérgio Vilas-Boas

Laboratório de sábado

Momento tietagem pós-autógrafos

[Renan Fattori]