Enquanto isso, no Brasil:

Logo mais, rrrrrespeitável público, a caravana Rumos Itaú Cultural 2009 entra em cena para mais uma sequência de diálogos, debates, e para dar o que falar por este vasto mundo brasileiro. Depois de Goiás, Brasília, Mato Grosso, Tocantins, Maranhão, Mato Grosso do Sul , Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte, Acre, Paraíba, Pernambuco, Rondônia, Amapá, Roraima, Pará e Amazonas, ufa!, não perca o fôlego, atlético leitor, que é a vez de Sergipe, Espírito Santo e Rio de Janeiro abrigarem a tenda itinerante da rumaria.

Hoje é dia de Aracaju, e amanhã também. Logo mais às 19h, no Espaço Semear, Christine Greiner, professora do departamento de Linguagens do Corpo da PUC-SP, palestra sobre A Importância do Corpo nos Processos de Criação em Arte Contemporânea. Amanhã no mesmo horário, no mesmo local, e com a sua mesma presença, a coreógrafa carioca Lia Rodrigues fala sobre Processos de Criação na Dança, abordando o tema a partir da experiência de 35 anos de carreira. 

Na sequência, entre 16 e 18 de abril, a Universidade Federal do Espírito Santo, em Vitória, bem recebe a caravana para assistir, às 19h do primeiro dia, à professora Ivana Bentes palestrar sobre Convergência das Mídias e Linguagens, e ao artista multimídia Lucas Bambozzi falar sobre Linguagens em Trânsito: o Audiovisual nas Redes e as Tecnologias Recentes de Produção de Imagens. A confluência de formatos audiovisuais na internet e a exploração dos conceitos que envolvem essas novas possibilidades de linguagens estão entre os tópicos que serão abordados na fala de Lucas, assim como o conceito de microcinema. No dia seguinte (sexta-feira), das 14h às 18h, o mesmo Bambozzi ministra a oficina Filmes e Vídeo Experimentais, que pretende um aprofundamento das discussões a partir de análises detalhadas de exemplos e estudos de casos.
 
No sábado, 18, o jornalista José Castello volta à cena com a oficina Em Busca do Personagem: Um Olhar Singular. A atividade é aberta para profissionais e estudantes de jornalismo e os seus principais temas abordam a pesquisa, a escolha e a construção do personagem, técnica da entrevista e a transpiração na produção do texto.

E o Rio de Janeiro? Continua lindo, e recebe a caravana nos dias 16 e 17 de abril.

Às 19h do primeiro dia, o pós-graduado na área de biologia e educação Nelio Bizzo fala sobre Processos de Criação: A Obra de Charles Darwin como Exemplo de Processo Criativo. Ele observa que nas últimas décadas a história da ciência passou por uma profunda transformação como campo de pesquisas, contexto em que o trabalho de Darwin torna-se um tema privilegiado. Além desta questão, Bizzo conversa sobre a possibilidade de estabelecer um paralelo entre a criação científica e a artística.
 
No dia seguinte (sexta-feira), das 14h às 17h, Helena Aragão ministra a oficina Introdução à Web Colaborativa. O objetivo da atividade é desmistificar a internet e o processo de escrita e mostrar como a web 2.0 pode fazer diferença no dia-a-dia do usuário. Com aulas práticas e lúdicas, ele dá noções básicas de como ampliar o repertório dos canais possíveis para a difusão de conteúdo na web e como utilizá-lo.
 
Às 18h, André Brasil (professor da PUC-Minas e integrante do programa de pós-graduação em Comunicação) e Ronaldo Entler (mestre em multimeios pelo Instituto de Artes da Unicamp) falam sobre Cinema Expandido: Novos Formatos, Novos Espaços. Na palestra, o primeiro aborda o processo de expansão do filme para além da sala de cinema, e os novos aspectos que ele adquire, devido aos recursos digitais de produção e projeção existentes. Já Ronaldo Entler fala sobre o conceito de obra expandida e analisa o trabalho do documentarista francês Chris Marker que, nos anos 60, repensou o estatuto do cinema com uma inusitada obra de ficção científica, e hoje explora linguagens e ambientes alternativos para reinterpretar os registros que produziu ao longo de quase 60 anos de carreira.

Tá bom ou quer mais? Quer mais? Porque tem mais.

Anúncios

Em Manaus foi lindo, e a semana será

manaus1

A passagem da caravana Rumos Itaú Cultural 2009 por Manaus (AM) foi rápida como um post, condensou duas palestras num só dia [07/04, A importância do corpo nos processos de criação em arte contemporânea, com Christine Greiner, e Processos de Criação na Dança, com Marcelo Evelin] mas nem assim a cidade, os habitantes, a continental exuberância amazônica e o público que apareceu para o papo deixaram de marcar os peregrinos rumeiros e o olhar narrativo e fotográfico de Cristina Espírito Santo, nossa coordenadora de Artes Cênicas que, ao lado dos dois palestrantes e do produtor executivo Marcelo Monzani, se aprofundou no Brasil profundo e saiu feliz e atordoada, segundo nos conta e você confere agora, segundafêirico leitor. Limpe a vista, gotas de colírio natural pingando foto a foto, fato a fato, na sua face.

Bem-vindo a Manaus:

“Nem sei como começar”, Cris começa. “Aportamos lá dia 06 de abril — eu, Marcelo Evelin, Marcelo Monzani e Christine Greiner para a palestra que seria realizada no Palacete Provincial , um belo prédio construído em 1861 e que durante um período de mais de cem anos abrigou o Comando da Polícia Militar. Agora, devidamente tombado, foi restituído à população e forma um complexo que abriga o Laboratório de Arqueologia Alfredo Mendonça de Souza, a Cela Memória e Arena de Artes Newton Aguiar, destinada à realização de espetáculos ao ar livre de música, dança, teatro e cinema, a Pinacoteca do Estado, o Museu da Imagem e do Som do Amazonas, o Ateliê de Restauro de Obra de Arte e Papel, o Museu de Numismática Bernardo Ramos, o recém-criado Museu de Arqueologia e o Museu Tiradentes“.

manauspublico2

“Ufa! Isso é que é um espaço ‘multiuso'”, define suspirante. E prossegue: “A palestra acabou sendo na verdade uma conversa com as comunidades locais de dança e teatro, e mais uma vez o público e os palestrantes se empolgaram e a conversa durou 03 horas e meia. Novamente percebemos que a reflexão compartilhada e a interlocução com os artistas locais são uma estratégia que dá certo. Christine Greiner e Marcelo Evelin conseguiram criar uma atmosfera de troca de informações e experiências, além de responder a uma série de angústias e questões dos artistas presentes”.

manaus2

“No mais, nossa expedição em Manaus não podia deixar de ser tomada pelo clima local, e mergulhou fundo nas águas do Rio Negro, indo ao encontro do Solimões e dos igarapés, igapós, palafitas, vitórias-régias, botos, iguanas, samaúmas, tucanos, garças, pirarucus, tambaquis, tanta beleza e diversidade que ficamos atordoados. Sabe assim, atordoado de beleza? Pois é!”

manaus4

“É claro que não podíamos deixar de exibir os nossos momentos pitorescos, estrelados pelo nosso já famoso produtor executivo Marcelo Monzani e pelo nosso palestrante Marcelo Evelin. Os dois Marcelos resolveram preparar-se devidamente para encarar as águas amazônicas tomando uma beberagem que atende pelo nome de Viagra Natural”.

Marcelo Evelin estranha, no início...

Marcelo Evelin estranha, no início...

Já Marcelo Monzani era só sorrisos...

Já Marcelo Monzani é só sorrisos...

Diante das beberagens amazonenses

Diante das beberagens amazonenses

“A beberagem é muitíssimo estranha e confesso que temi pelo bom andamento da nossa aventura, mas até onde pude ver, nossos heróis não sofreram nenhum tipo de efeito colateral”.

[Cristina Espírito Santo]

*

E enquanto a terça-feira não chega, com a novíssima etapa das itinerâncias Rumos 2009 — alô-alô, Aracaju! Alô, Vitória! Salve-salve, Cidade Maravilhosa! –, numas de deixar este post mais bonito confira mais algumas fotos enviadas por Cristina. No finalzinho, a programação da semana.

*

manaus3

manaus5

manaus7

manaus6

*

Itinerâncias da semana:

Aracaju, SE: 14 e 15 de abril, Sociedade Espaço Semear

14/03, às 19h — Palestra A importância do corpo nos processos de criação em arte contemporânea, com Christine Greiner

15/04, às 19h — Palestra Processos de Criação na Dança, com Lia Rodrigues

Vitória, ES: 16 a 18 de abril, Universidade Federal do Espírito Santo

16/04, das 9h às 13h — Palestra Convergência das Mídias e Linguagens, com Ivana Bentes, e Palestra Linguagens em trânsito: o audiovisual nas redes e as tecnologias recentes de produção de imagens, com Lucas Bambozzi. Local: Auditório do Centro de Artes da UFES.

17/04, das 14h às 18h — Oficina Filmes e vídeos experimentais, com Lucas Bambozzi

18/04, das 9h30 às 18h — Oficina Em busca do personagem: um olhar singular, com José Castello

[Serão oferecidas 30 vagas para as oficinas. As inscrições podem ser feitas na UFES/Cemuni I, sala 28 – Laboratório de Internet e Cultura (Labic) – Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras – Vitória – ES – CEP 29075-910 – com Flávia ou Yuri – das 14h às 18h – de 06 a 15 de abril (exceto dias 10,11 e 12 de abril, feriado da Semana Santa). As oficinas ocorrerão no Núcleo de Multimeios , Sala Multimídia.]

Rio de Janeiro, RJ: 16 a 18 de abril, Universidade Federal do Rio de Janeiro

16/04, às 19h — Palestra Processos de Criação: A obra de Charles Darwin como exemplo de processo criativo, com Nélio Bizzodas

17/04, às 18h — Palestra Cinema Expandido: Novos Formatos, Novos Espaços, com André Brasil e Ronaldo Entler

18/04, das 14h às 17h — Oficina Introdução à Web Colaborativa, com Thiago de Souza Camelo

A saudade de Sonia

evelin4

Sonia Sobral, gerente do núcleo de Artes Cênicas do Itaú Cultural, descobriu Boa Vista e nos mandou um texto cheio de saudade do extremo Norte do Brasil. Falou da cidade, das surpresas, dos percursos, de peixada (nas andanças por este quilométrico país a culinária é sempre uma agradável descoberta, guloso leitor) e da palestra do artista piauiense Marcelo Evelin, que logo mais bate um papo sobre Processos de Criação na Dança com a turma de Manaus, ao lado de Christine Greiner, que fala sobre A importância do corpo nos processos de criação em arte contemporânea. Às 19h, no Palacete Provincial.

A turma da dança em Roraima

A turma da dança em Roraima

Sonia mandou um retrato falado, e Marcelo Monzani as fotografias. Já viu como é o Norte? Então veja.

*

“Sabia pouco sobre Boa Vista, que está perto da Venezuela e da Guiana, e mais perto ainda da Raposa Serra do Sol. Depois das longas horas no avião finalmente chegamos ao céu de Roraima. Turbulência. Chovia forte. Desci de madrugada numa Boa Vista molhada e fresca. Foi esta a primeira surpresa — achei que o calor encheria minha chegada.

“No taxi para o hotel, já começaram minhas perguntas. Fui informada de que lá é começo de inverno. Isso me deu, mais uma vez, a dimensão deste país. Como, num mesmo país, há lugares em outras estações do ano. Achei o máximo. Segunda coisa que aprendi no taxi: mais ou menos metade da população de 270 mil habitantes é de migrantes. Perguntei de onde, me disse o paciente motorista que de vários lugares: Pará, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Sul. Na hora do almoço notei os restaurantes fechados. Eles fazem a ciesta.

“Andei. Vi ruas largas, não vi edifícios vi muitas cores nas casas e prédios e vi, assim como também em toda a região centro-oeste [por onde Sonia também passou com a caravana Rumos], a visão contínua e insistente do céu. Se os portugueses diziam: tanto mar, lá diremos: tanto céu. Uma noite o céu estava vermelho. Emocionante. 

“O sotaque é gentil como são os roraimenses. Fomos convidados a comer uma peixada, uma noite, na casa de alguém que nem nos conhece. Quer coisa mais brasileira? Não vai dar tempo de ver e saber muito mais: amanhã é domingo e com 06 horas de viagem chegarei a São Paulo e verei muitos edifícios, poucas árvores e pouco horizonte.

evelin3

“O encontro com Marcelo Evelin (PI) foi execelente. Apesar de pouca gente Marcelo deu conta de falar de processo de criação e de dança contemporânea de forma clara e inteligente. Boa Vista é a única capital brasileira que não possui um teatro público em funcionamento. A Universidade tem apenas 20 anos. O campus parece um canteiro de obras. Há muito o que ser construido por lá. E os habitantes da cidade têm disposição pra isso”.

[Sonia Sobral]

A caravana ligou pra contar

Em Brasília, 19h. Sonia Sobral, gerente do Rumos Artes Cênicas, avisa que o bate-papo inaugural do Rumos 2009 em Brasília atraiu mais que candidatos ao programa. “Reconheci pessoas ligadas às artes cênicas na platéia que não são potenciais inscritos e que foram para ouvir a Christine Greiner”. Estudantes da área de arte e tecnologia também estiveram presentes, motivados pela presença da professora Suzete Venturelli.

Candidatos ou não, o público se mostrou muito menos platéia e muito mais interlocutor. Interessado e ativo, sim, lá em Goiânia também — Kety Fernandes, coordenadora do Rumos Cinema e Vídeo, ligou pra contar. Em Goiânia foi Ivana Bentes quem inaugurou os trabalhos do Rumos 2009, conversando com cerca de 60 pessoas sobre convergência de mídias e linguagens.

Goiânia de olhos e ouvidos atentos...

Goiânia de olhos e ouvidos atentos...

...À palestrante Ivana Bentes

...à palestrante Ivana Bentes

Quem estiver em uma das duas cidades ainda tem tempo de participar. Hoje à noite, Christine Greiner palestra no Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro, enquanto em Brasília Vera Sala discute processos criativos em dança.

Enquanto isso, no ciberespaço

sem-titulo11

A equipe do Overmundo faz o convite para a oficina de introdução à web colaborativa que acontece amanhã em Brasília, e fala um pouco da parceria com o Itaú Cultural. Assim falou o Observatório:

A oficina [ministrada por Viktor Chagas], com duração de três horas, dá uma pincelada na história da internet e da Web 2.0, faz um passeio por sites que usam estrutura colaborativa, aborda a questão da escrita no meio virtual e as mudanças no cenário cultural causadas pelas novas tecnologias. Entre março e abril, vamos participar da caravana também em Recife (março, na Fundação Joaquim Nabuco), no Rio de Janeiro (abril, na UFRJ), em Belo Horizonte (abril, no Museu Inimá de Paula) e Porto Alegre (abril, Centro Cultural Érico Verissimo).

E disse tudo. A expectativa é grande dos dois lados da parceria. E pode ser dos TRÊS lados, se o público animar com a gente. Quem estiver em Brasília é convidado!