Sai a lista dos selecionados do Rumos Educação, Cultura e Arte

Abram alas, amigo leitor, amiga leitora, pois o Itaú Cultural divulgou esta semana a lista dos selecionados do Rumos Educação, Cultura e Arte 2011-2013. No total, 11 estados se fizeram presentes na seleção. Minas Gerais é o estado com maior número de contemplados, com 3 projetos de Belo Horizonte; em seguida vem o Ceará, com 2 projetos, um da cidade de Paracuru, outro de Fortaleza. Os demais estados, com um projeto cada, são Tocantins, Santa Catarina, Goiás, Bahia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, São Paulo, Distrito Federal e Paraíba. Confira a lista e o descrito dos projetos abaixo, ou no site do instituto.


Ana Claudia Mumbuca
Mateiros-TO
Músicas e Teatro: a Tradição dos Quilombolas de Mumbuca Jalapão
(grupo informal)
As proposições cênicas de Ana Claudia Mumbuca transformam a relação de uma comunidade rica em tradições, localizada entre as belas paisagens do Jalapão, em Tocantins. Em volta da fogueira, moradores locais celebram e difundem sua cultura, por meio de histórias, poesia, dança e o som da viola de buriti.

Ana Russi
Blumenau-SC
Máscaras, Versos e Risadas
APAE-Gaspar
Composição e gravação de canções caracterizam as oficinas de música realizadas com crianças, jovens e adultos com deficiência que podem descobrir seu potencial criador. Instrumentos musicais alternativos, percussão vocal ou música popular brasileira compõem o repertório do grupo.

Babilak Bah
Belo Horizonte-MG
Uma Experiência Intersemiótica com Loucura
Trem Tan Tan
Na “loucomotiva musical” do Trem Tan Tan música e literatura convergem para a criação do grupo formado por cidadãos com sofrimento psíquico. Partindo de ruídos e sons inusitados, explorando timbres e a linguagem percussiva, Babilak Bah atua como artista, educador e proponente de situações de experimentação.

Daraína Pregnolatto
Pirenópolis-GO
Brincadeiras, Ritos e Redes Populares
Guaimbê – Espaço e Movimento Criativo
O Quintal da Aldeia mantém a porta aberta para todos. É nesse espaço de troca de saberes que Daraína Pregnolatto fortalece o sentido de pertencimento dos membros da comunidade. A proposição da “Pedagogia do Quintal” feita pela educadora estimula o aprendizado vivencial e o diálogo entre jovens, crianças e griôs de uma comunidade em Pirenópolis.

Flávio Sampaio
Paracuru-CE
Projeto Dançar Paracuru
Associação Dança, Arte e Ação
Flávio Sampaio afirma que 0,4% dos moradores de Paracuru, no Ceará, dançam − o que constituiria percentualmente a maior população de bailarinos do país. Esse índice se relaciona ao laboratório de formação em dança para crianças e adolescentes criado pelo educador nessa comunidade pesqueira do Ceará.

Francisco Magalhães
Belo Horizonte-MG
O Museu Guardas
Museu Mineiro
Para Francisco Magalhães os objetos de um museu são bens comuns. Por isso o educador propõe a entrada de festejos de cultura popular no espaço da instituição e a saída de peças do acervo de arte sacra do museu para o espaço das comunidades onde podem ser celebrados de modo vivo em práticas culturais que ressignificam o papel do museu.

Josevaldo de Almeida Silva
Conceição do Coité-BA
Projeto Santo Antônio de Música
Associação de Moradores do Alto da Colina
Depois de aprender sozinho a tocar violino, Josevaldo de Almeida Silva se tornou um educador convicto na autonomia das crianças que participam das ações de educação musical desenvolvidas por ele. As vivências musicais e a prática orquestral criam um espaço de formação artística e profissional no chamado Polígono das Secas Baiano.

Kiko Alves
Fortaleza-CE
NoAR – A Invenção do Lugar
NoAr Alpendre Casa de Cultura e Cidadania
Ao atuar, a partir da comunidade do Poço da Draga, mobilizando adolescentes em uma “TV de Rua”, Kiko Alves orienta a criação audiovisual que incorpora a fotografia, a internet e a arte contemporânea. Os jovens descobrem suas próprias potencialidades e fazem com que suas vozes cheguem mais longe por meio de parceria com a televisão local.

Mestre Bujão
Niterói-RJ
Din.Down.Down – Capoeira Especial
GINGAS – Casa da Cultura Afro-Brasileira
Mestre Bujão não é apenas mestre de capoeria, mas também de “papoeiragem” como ele mesmo denomina a dinâmica de diálogo que cria com seus educandos. O convívio de pessoas com ou sem diagnóstico de deficiências se dá nas oficinas de capoeira onde cada corpo conquista o jeito de seu próprio jogo.

Mestre Pedro
Natal-RN
Conguinhos de Calçola: de Geração para Geração
(grupo informal)
Mestre Pedro desenvolve atividades relacionadas ao Congo com as crianças da Vila de Ponta Negra. O intercâmbio entre um grupo de cultura popular e uma escola da localidade convida a comunidade a valorizar, preservar e renovar a tradição por meio do compartilhamento de ensinamentos transmitidos por seu pai.

Renata Fernandes
São Paulo-SP
Uma Experiência de Criação na Vila Maria Zélia
Coletivo SIM e Associação Cultural Vila Maria Zélia
A proposta de criação multiartística − que inclui dança, vídeo, instalação, poesia e música − envolve moradores da Vila Maria Zélia, um bairro operário tombado como patrimônio histórico paulista. Crianças, jovens artistas e idosos participam juntos de oficinas artísticas permeadas por conversas sobre identidade e memória, que encontram tradução em linguagens contemporâneas.

Ricardo Amorim
Recanto das Emas-DF
Projeto Batucadeiros
Instituto Batucar
O corpo é o grande objeto de pesquisa e descoberta lúdica para o fazer musical de crianças e jovens do Recanto das Emas. A percussão corporal dialoga com outras linguagens artísticas − como teatro, dança, vídeo ou literatura −, e com a própria música no processo de formação de orquestra conduzido por Ricardo Amorim.

Roberto Silva
Belo Horizonte-MG
Projeto Boneco Especial
Família Silva Teatro de Bonecos
O teatro de bonecos feito por pessoas com deficiência é a tônica da experiência que envolve alunos de escolas especiais. Como participantes ativos das oficinas ou desfrutando da possibilidade de fruição dos espetáculos como público, descobrem, com a mediação de Roberto Silva, diferentes técnicas e possibilidades criativas.

Simone de Fátima Alves Gonçalves
João Pessoa-PB

Escola Popular de ArteCentro Cultural Piollin
Oficinas de circo, teatro e leitura fazem parte do cotidiano de crianças e adolescentes que frequentam o Centro Cultural Piollin. A proposta pedagógica de Simone Gonçalves é pautada em ciclos de formação coletiva que colocam a arte circense em foco na cidade de João Pessoa.

Anúncios
This entry was posted in Rumos 2011 and tagged , by reuben da cunha rocha. Bookmark the permalink.

About reuben da cunha rocha

São Luís (MA), 1984. Jornalista, escritor e tradutor, com trabalhos publicados em revistas como Poesia Sempre (Biblioteca Nacional), Revista de Autofagia, Cult, Modo de Usar & Co. e Continuum, do Itaú Cultural. Em 2004, foi selecionado da primeira edição do Rumos Jornalismo Cultural. Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP, também é editor da revista Semeiosis, do Grupo de Pesquisa Semiótica da Comunicação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s