Aventuras do Jornalismo Cultural em Aracaju (1)

E por falar em Aracaju, caro leitor, Aracaju manda lembranças: o expedicionário Ricardo Tayra, mais conhecido com Ricardo, esteve por lá acompanhando a realização do laboratório de jornalismo cultural conduzido pela jornalista Eliane Brum. Nosso intrépido correspondente integra as fileiras do núcleo Diálogos, responsável pelo Rumos Jornalismo Cultural, e antes de embarcar de volta para São Paulo enviou o texto e as fotos que seguem abaixo. Ainda falta, ansioso leitor, novidadeira leitora, pois entre tudo isso e o embarque alguns problemas na conexão impediram o envio de todas as fotos. Ficam, então, para um próximo post, que esse já está bem representado, e não há, pelo menos ainda, internet acima das nuvens. Avante, então, ao texto!

***

Escrevo ainda em terras sergipanas, enquanto tudo tá fresco na memória: a caravana, pequenos detalhes da cidade, a viagem.

Domingo cedo, aeroporto de Guarulhos. É mesmo curiosa, no mínimo, a organização nos aeroportos. Passageiros enfrentam filas para check-in se amontoando dum lado. Um pouco mais à frente, guichês vazios (uns até com aquelas fitas organizadoras de filas desmontadas). Pergunto a uma funcionária do aeroporto se ali nunca é usado. Ela não sabe, é nova ali. Mas não dá pra parar muito pra perguntar não: é gente passando a toda hora com bagagens, uns pedindo licença, outros não. E olha que é domingo cedinho.

Domingo de manhã em Guarulhos...

Ou domingo de manhã em Guarulhos?

Check-in feito, acho que me livrei das filas. Respirar um pouco, dar uma andada. Uma volta e – espanto – formou-se uma fila enorme no acesso ao embarque. Deixo passar um tempo com outra volta e a fila aumentou muito. Uma rápida conta mental e acho melhor pegar a fila pra não me atrasar pro embarque. Só pra depois, lá dentro, descobrir que o embarque é que atrasou e o portão de saída mudou.

Parênteses: A espera pela definição do portão exato me deixa perceber que a “última chamada” para o vôo a Salvador é feita pelo menos umas cinco vezes: três avisos simples (com intervalo de tempo ente eles) e depois dois avisos especificando os nomes dos passageiros atrasados. Estes últimos, tentando aparentar isenção, mas deixando escapar um tom leve de pais dando bronca em filhos.

A última do avião: lá dentro, viagem transcorrendo bem, a equipe nos lembra pelo sistema de som o destino do vôo e que iremos fazer uma rápida parada em Maceió. Quem vai pra Aracaju deve ficar em seus assentos. Só que depois da entrada dos passageiros em Maceió, o aviso é de que o destino do vôo é o Rio de Janeiro. Segundos depois – que pareceu um século, suficiente pra qualquer passageiro, como eu, começar a se questionar se está no avião certo – continua dizendo faremos uma rápida parada em Aracaju.

Aracaju

Saindo do aeroporto em Aracaju, logo sou apresentado ao Rio Sergipe, de água doce. O hotel fica nas dependências do Shopping Riomar. O taxista diz que é melhor sempre informar o nome, pois a cidade tem outro que também tem um hotel próximo. A ida ao shopping pra almoçar no fim da tarde passa a impressão de que não saí de São Paulo. Mas o calor do trajeto pelo estacionamento até o hotel não me deixa esquecer onde estou.

Sociedade Semear

Manhã de segunda-feira. Vou conhecer a Semear. Conheço pessoalmente profissionais com quem trato por telefone há alguns anos, sobre as parcerias com o Rumos: Cita Domingos, diretora de cultura e artes, e Thiago Ismerim, assessor de imprensa da instituição. Sou muito bem recebido, trocamos informações e tiramos dúvidas. Conheço ainda Breno Domingos, da equipe técnica da Semear, que iria depois me auxiliar em questões de produção.

Um breve tour com Thiago pelas dependências da sede da instituição, que tem um bom espaço para administrativo e atividades, inclusive um anexo posterior à construção inicial. Dividida em setores de Cultura e Arte, Meio Ambiente e Estudos Múltiplos, tem diversos funcionários que iniciaram o trabalho como voluntários, como Thiago, que transmitem paixão pelo que fazem. Vale a pena conhecer pessoalmente e, para quem está longe, ao menos conferir o site.

Fico curioso com um orelhão na lateral da entrada principal do lugar: de longe, parece não ter telefone. E não tem mesmo, é uma obra do acervo da Semear: “Paixão de Cristo segundo Chou Ming”, de Fábio Sampaio.

Visita feita, toco para o centro – almoçar e conhecer o mercadão. Lembrancinhas diversas, vendedores de castanha, biju e outros dão o tom. Escrever é pouco, tem que ver. Mando umas fotos do local.

Almoço num restaurante em um terraço lá na área do mercadão. De lá de cima fica em evidência uma construção abandonada e desgastada, porém, aparenta ter sido bonita no passado. No restaurante me informam que se trata do Colégio Nossa Senhora de Lourdes, dirigido por freiras. Hoje, apenas a parte inferior é ocupada com comércio local, o que o torna praticamente invisível para os passantes, mas em evidência para quem olha a cidade do segundo andar.

O colégio, visto do terraço...

...e outras paisagens vistas do terraço

Mais tarde, o prestativo Breno me auxilia com as compras para o lanchinho ao público. Biólogo de formação, ele é mesmo um faz-tudo, como conta nas conversas e atitudes nas atividades na Semear. Fico sabendo depois que ele é quem nos fez o café, inclusive.

 

Eliane Brum, entre cartazes

O laboratório transcorre bem, o público ouve com atenção as histórias, dicas e atividades descritas pela jornalista Eliane Brum. Nas três horas da ação, o mundo parece um lugar melhor para o jornalismo e a reportagem. Se uma parte que seja das conversas dali for transposta para o mundo real, fará uma diferença enorme na carreira e, por que não, na vida dos participantes que por ali estiveram. Aprender a olhar e a escutar não é pra qualquer um, mas não é difícil se a pessoa se propuser a tanto.

Eliane Brum em ação!

[Ricardo Tayra]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s